Antes das praxes

by offarinha

Não se dá hoje um passo sem se ouvir falar de praxes. E somos bombardeados com as ilustradíssimas opiniões de uns trogloditas com ar abrutalhado que parece que são especialistas na coisa, e de outros que acham normalíssimo ser sujeitos a tão edificantes práticas, e de outros que querem proibir tudo porque as suas cabecinhas são semelhantes às dos outros, com a subtil diferença que a sua praxe reside apenas e só na proibição… De todo este gado caprino já se falou no post anterior. Mas, para além da evidência da estupidez humana no seu esplendor, é também edificante olhar de vez em quando para o que está antes dela, e a proporciona, a permite e origina tais refulgências.

Numa escola secundária do concelho de Cascais, os alunos vão assinalar o dia mundial de luta contra o cancro com alguns eventos muito sérios e recomendáveis: colheita de sangue, palestras sobre o cancro da próstata, o cancro do colo do útero, a prevenção do cancro… Mas, pasme-se (ou talvez não), junto com tudo isto aparece uma palestra que versa um tema singular, «Benefícios do Reiki em doentes que fazem quimioterapia», seguida de demonstrações práticas de terapias de Reiki. Os alunos irão, assim, substituir o Português, a História e a Matemática pelo Reiki, com a autorização entusiasmada e colaborante do pessoal que por lá manda e sob a presença tutelar do «Exmo. Senhor Vereador da Educação e Saúde da Câmara Municipal de Cascais, Dr. Frederico Pinho de Almeida» (sic).

Mal podemos esperar pelo momento em que o Exmo. Senhor Vereador etc… etc…, a distinta direção e todo o corpo docente promovam acções sobre «Astrologia e erisipela», ou «Efeitos da cartomância na prevenção do pé de atleta», ou «Leitura do voo das aves na detecção precoce da alopecia». Em alternativa, sugerimos que organizem umas viagens a Fátima ou à Santinha do Tropeço.

E depois queixem-se e desatem a gritar nos telejornais!

Anúncios