Iliteracia e acrasia (2)

by offarinha

Dois terços dos funcionários públicos de “baixa” em 2012 estavam afinal aptos para trabalhar.

Quanto é que isto terá custado ao erário público? E o que terá acontecido aos tais dois terços? E, em termos de igualdade de direitos com os trabalhadores do sector privado (nomeadamente os desempregados), o que dirá o Tribunal Constitucional sobre o assunto? Haverá alguma norma acerca da retroactividade dos efeitos da fraude? Será que ao cisma grisalho deveremos acrescentar outros cismas? E promover um correspondente movimento? A entoar a «Grândola» ou o «Fado Maravilhas»?

Anúncios