Unanimismo modernaço

by offarinha

Ainda a propósito dos manuais dos 27€, não é só no preço que se destacam estranhas unanimidades. Note-se, por exemplo, a repetição ad nauseam dos mesmos textos e dos mesmos comentadores da actual moda universitária, bem como a dominante adopção de uma perspectiva analítica em versão muito pobrezinha e pretensiosa, género Amadora College of Philosophy.

Como se trata de manuais de Filosofia, a páginas tantas os autores ocupam-se da Filosofia da Religião e das relações entre a razão e a fé. São usados os clássicos óbvios (Sto. Anselmo, S. Tomás de Aquino, Pascal, Kierkegaard, etc.) e, chegados aos nossos dias, uma gente que deve ser célebre e legitimada como relevante nas capelinhas frequentadas pelos ditos autores e pelos revisores científicos em que se apoiam. É sabido que uma das pessoas que tem produzido, nos últimos anos, algumas das páginas mais estimulantes e, por isso mesmo mais discutíveis, acerca deste assunto, é Joseph Ratzinger. Na dúzia de manuais carregados de «celebridades» contemporâneas, nem uma só vez é citado ou, sequer, mencionado.

Imaginemos por momentos que esta malta fraldiqueira resolvia elaborar manuais de futebol. No sector clássico teríamos Kubala, Di Stefano, Pelé e Eusébio. Dos de hoje, os Messis, os Ronaldos e os Mourinhos seriam substituídos por aqueles tipos inenarráveis que enchem os serões televisivos de segunda-feira. Mas a suprema comoção seria a de os autores se sentirem legitimados por ostentar, na capa e em letras garrafais: revisão científica de Paulo Futre ou de Rui Santos.

Anúncios