Onde está o Wally?

by jfc

nestes acontecimentos várias coisas que irritam.

O que me apetece para já destacar é a confissão do director de informação da TVI. É claro que ele tem o cuidado de fazer a devida restrição, mas dizer que «os jornalistas são os vossos maiores aliados» funciona como um lapsus linguae, uma daquelas coisas freudianas que revelam mais do que se quer.

É claro que eu percebo que ele quis dizer que os jornalistas são a garantia de que eles, os protestativos, são ouvidos, o que na prática equivale a dizer que eles, os protestativos, só existem na medida em que os jornalistas falarem deles, mas o que ele objectivamente disse foi que os jornalistas são os maiores aliados dos protestativos nos protestos (e depois vem a restrição). E não são?

Mas há outras restrições. E se aqueles jovens estudantes energúmenos fossem criaturas de cabeças rapadas ou bigodinhos à fuhrer, igualmente energúmenos, ou alguma coisa mais soft, mas que obviamente não emanasse do protesto esquerdófilo, o Director Carvalho também diria que eles, os jornalistas, eram os seus melhores aliados desde que não partissem a cabeça a ninguém? Mesmo que «aliados» se limitasse a exprimir a tal garantia de expressão? É evidente que não. Basta ver telejornais para saber disso.

No entanto, também estariam a protestar. Nesse caso, certamente observariam, os jornalistas, como lição a retirar do caso, o avanço da extrema-direita entre a juventude em vez de notarem a diminuição de representatividade e, por acréscimo, de legitimidade do governo, isto é, o seu recuo. Ou diriam, por exemplo, que esses energúmenos direitistas não representavam a classe estudantil, exactamente por não passarem de energúmenos direitistas. E esta rapaziada que estava no ISCTE, o que é? Apenas estudantes indignados, cheios de razão para fazer peixeirada, dizem-nos eles, os jornalistas (ocultando um sorriso de gozo pela situação), desde que não passem dos limites. Ora bolas!

 

 

Anúncios